sábado, 2 de julho de 2016

Uma vergonha que continua

Em Agosto do ano passado denunciámos uma grave agressão ao rio, através da Ribeira da Granja, seu afluente e que vem do concelho da Maia.
(recordamos aqui e aqui as notas que então publicámos))
Na altura, contactámos diversas entidades, entre as quais a Câmara Municipal da Maia, os respetivos serviços de Águas Electricidade e Saneamento, a Agência Portuguesa do Ambiente, entre outras.
Lamentavelmente as respostas que recebemos foram evasivas do tipo"estamos à espera de recursos humanos" ou "estamos a acompanhar o problema".
Passado quase um ano, o vergonhoso atentado ambiental continua por solucionar, como documentam fotos recentes obtidas por elementos do Movimento no local onde a dita ribeira encontra o rio.

Como é óbvio, continuámos a insistir junto das entidades competentes no sentido deste problema ser definitivamente resolvido. Mas o que é certo é que o alheamento, a incúria,o "assobiar para o lado" permanecem. E assim, diariamente, o rio continua a ser agredido. A primeira responsabilidade, claro que pertence à Câmara Municipal da Maia e seus Serviços Municipalizados de Água Electricidade e Saneamento. Mas estranhamos a complacência da Agência Portuguesa do Ambiente que parece continuar apenas a "acompanhar a situação". Perante toda esta ineficácia como poderão estas entidades ter autoridade moral para exigir aos cidadãos atitudes cívicas de respeito pelo ambiente?
E também cabe aqui uma palavra de recomendação à Câmara Municipal de Gondomar e Junta de freguesia de Rio Tinto para que pressionem a Câmara da Maia, já que estamos perante a contaminação de um recurso hídrico que atravessa o Concelho e dá nome à cidade que amamos e continuaremos a defender.
Esta vergonha não pode continuar!

Sem comentários: