sábado, 20 de maio de 2017

Uma primeira pedra importante para o rio

Ontem, ao fim da tarde, decorreu a cerimónia de lançamento da "primeira pedra" da construção do intersetor no rio Tinto, de que aqui temos falado por diversas vezes.
Estiveram presentes, entre outras individualidades, o Primeiro-Ministro, o Ministro do Ambiente e os Presidentes das Câmaras Municipais de Gondomar e do Porto.
O Movimento em Defesa do Rio Tinto, recebeu convite do Presidente da Câmara de Gondomar e fez-se representar por um pequeno grupo de elementos.
Registaram-se intervenções das personalidades atrás referidas, que, entre outros temas, abordaram a importância da obra agora simbolicamente lançada.

O Movimento, como já afirmou, congratula-se com o início desta obra que será um passo importante face à desejada despoluição do rio. E saúda também o facto de ter sido possível a conjugação de vontades, designadamente das Câmaras de Gondomar e do Porto, que permitiu chegar a este melhoramento.
Como já dissemos, esta foi uma solução que fomos defendendo ao longo de anos, mesmo quando caminhámos praticamente sozinhos, lutando contra incompreensões e até ironias que menorizavam os nossos argumentos técnicos.
Realçando uma rápida referência ao nosso Movimento, que o Presidente Marco Martins fez no início do seu discurso. queremos aqui dizer que não estamos à procura de quaisquer louros ou louvores pela acção perseverante que desenvolvemos até se chegar a este dia importante. O que releva de verdadeiramente fundamental é que começamos a ver acções concretas com vista à melhoria do rio e suas margens. Mais do que palavras de circunstância o que nos move é a "felicidade" do rio que defendemos.
Mas este equipamento, sendo importante, não vai, como já dissemos, resolver todos os problemas do rio. Muito mais há ainda a fazer. Um exemplo:a ribeira da Castanheira, afluente do rio Tinto, segundo dados analíticos recentes, apresenta elevados níveis de poluição. Assim, enquanto persistirem problemas de contaminação das águas que têm de ser detectados e combatidos e que podem ocorrer a montante do início do intersetor, não se poderá ter um rio inteiramente saudável e feliz.
Nota - no JN de hoje, dava-se conta, em diversas páginas, da presença do Primeiro-Ministro em vários actos na zona do chamado Grande Porto. Sobre este evento, nem uma palavra. Será que a defesa de um pequeno rio não tem a relevância suficiente? Talvez amanhã...

terça-feira, 2 de maio de 2017

O intersetor avança - afinal tínhamos a razão e o conhecimento do nosso lado

De acordo com a notícia avançada no passado domingo pelo JN, a obra de construção do intersetor no rio Tinto, de que aqui temos falado tantas vezes, será entregue ao empreiteiro hoje, terça-feira.
Notamos, entretanto, que na notícia fala-se num "intersetor que vai unir a ETAR do Meiral, em Rio Tinto, e a do Freixo no Porto".
 Ora, o que é dito, tanto na acta da reunião da Câmara Municipal de Gondomar de 20 de Janeiro de 2016

como no site da mesma Câmara
é  que o intersetor levará efluentes saídos das ETAR do Meiral e do Freixo para o rio Douro e não se limitará a ligar apenas as duas estações, o que tecnicamente não faria grande sentido.. Pelo que o teor incompleto da notícia, ou seja, o facto de apenas se aludir ao primeiro das quatro partes fundamentais previstos na candidatura (ver acta atrás citada) se poderá dever a uma interpretação parcial da jornalista acerca do que viu e ouviu na "visita técnica" que acompanhou, à ETAR do Meiral.
Queremos, entretanto, referir, que estamos a seguir o que se passa de modo indireto pois, há já algum tempo, o nosso Movimento, pediu para consultar o projeto de construção do emissário, o que nos foi negado pela Câmara de Gondomar. Não podemos deixar de nos sentir injustiçados perante tal recusa porque esta solução que agora vai para o terreno, já vinha a ser por nós defendida há mais de cinco anos. Aliás, na cerimónia de assinatura do protocolo para a candidatura do projeto, por diversos oradores, foi destacada a determinante acção do  Movimento na evolução desta solução  para combater a poluição do rio.Julgamos, pois, que merecíamos a modesta "recompensa" de podermos estar mais por dentro das coisas. Pode reler o post em que assinalámos o referido evento:
A nossa persistência em propor a construção deste emissário (já em Fevereiro de 2012 aqui falávamos disto), enfrentando mesmo opiniões fortemente opositoras ou até sarcásticas de algumas entidades, como agora se vê, estava plenamente justificada. 
Aqui deixamos alguns links que remetem para posts que aqui publicámos,ao longo do tempo, e que documentam esta luta de anos:

O nosso Movimento congratula-se, pois, com o anúncio do início das obras de construção deste emissário que será um passo muito importante rumo à ambicionada despoluição do nosso rio.
Mas muito haverá ainda a fazer, como também foi reconhecido na dita cerimónia de assinatura do protocolo de candidatura.Nomeadamente a eliminação de ligações de esgotos domésticos ao rio e monitorização e fiscalização permanentes de molde a evitarem-se novas agressões à qualidade deste bem natural.
Por isso continuamos a manifestar a maior disponibilidade para contribuir com o nosso empenhamento e com os nossos conhecimentos técnicos para a obtenção das melhores soluções tendo em vista um melhor rio, um melhor ambiente, uma cidade melhor. 

domingo, 26 de março de 2017

E foi assim a 10ª

Chegámos aos dois dígitos. A 10ª Caminhada cumpriu-se hoje. Atingir esta marca tem dois sabores. Um positivo pois significa que o Movimento em Defesa do Rio Tinto, continua, ativo,atuante, determinado. Se calhar contrariando os desejos de alguns.Mas inegavelmente com o apoio e o elogio de muitos, muitos mais. E conseguindo, com a nossa luta, alguns resultados valorizáveis tendo em vista uma melhoria da saúde do rio. Mas há outro sabor, um pouco oposto a este. Ter que caminhar, ainda mais uma vez pelo rio, quer dizer que muito ainda há que mudar, muito ainda há que exigir, muito há por que continuar a lutar. Pelo rio, pelas suas margens, pelo seu enquadramento urbano.
Hoje, estivemos, pois, na rua. Apesar das condições meteorológicas bastante desfavoráveis, mais de uma centena de "resistentes" caminhou junto ao rio que defende. Por causa da chuva, fomos menos do que é costume. Mas a nossa "teimosia" acabou por ser recompensada pois logo depois do início da caminhada a chuva deu tréguas. Afinal a Natureza sempre acaba por recompensar quem a defende.
Aqui ficam algumas imagens sobre a nossa 10ª

Concentração, ainda de guarda-chuva aberto.

Breves palavras de abertura:
A partida:
Ali ao lado, corre o rio, vergonhosamente entubado, por interesses que a História vai gradualmente desmascarando
Pedro Teiga, sempre presente, num dos momentos de reflexão sobre diversos aspetos que envolvem a defesa do ambiente.
Retenhamos estas suas palavras:"O Movimento em Defesa do Rio Tinto não são apenas alguns que coordenam, de algum modo, as atividades. O Movimento, somos todos nós, que nelas participamos, que damos corpo à luta por um rio melhor. O Movimento é, afinal, uma ideia. "
 E lá continuámos (e aqui já não chovia...)
 Sob o céu, já azul, junto à ETAR do Meiral
Por campos um pouco enlameados, olhando bem para o chão, para evitar escorregadelas
A habitual paragem no pontão de Pego Negro
Por escadinhas, continuámos
Desta vez fomos até ao Parque Oriental do Porto
O rio Tinto bem ali ao lado.
Como foi sublinhado pelo Paulo Silva, este parque só poderá ser verdadeiramente aprazível, quando o rio for totalmente despoluído.
Já no caminho de regresso, contemplando "despojos antigos"...
A célebre descarga de águas não devidamente tratadas da ETAR do Meiral que continuam diariamente a contaminar o rio. Espera-se ansiosamente pela construção já aprovada do coletor que conduzirá estas descargas diretamente para o rio Douro, que, com muito maior caudal, as receberá de modo muito menos contundente. Esta foi uma solução defendida anos a fio pelo Movimento, mas que foi desdenhada por uma série de entidades com responsabilidades. O futuro deu,nos razão. Valeu a pena sermos "teimosos"...
Já perto do fim. A propósito: aquela placa que indica que ao lado corre o rio foi sugestão do Movimento:
Eis um aberrante exemplo de comportamentos que não podem ser tolerados:

A 10ª terminou junto ao final do entubamento do rio.
Palavras finais, com a promessa de que o Movimento continuará a sua missão. Não desistiremos da luta por um rio melhor, por uma cidade com um centro cívico verdadeiramente verde. Elogiando o que for de elogiar. Denunciando o que for de denunciar.
Até breve!

quarta-feira, 15 de março de 2017

Contagem decrescente para a 10ª Caminhada - Atualização



Contamos consigo!
Não se esqueça da mudança da hora que ocorrerá de sábado para domingo.

Como parte do percurso (fácil- cerca de duas horas) ocorrerá sobre terrenos rústicos, os participantes deverão usar calçado e vestuário adequados.
É aconselhável também levar água.

segunda-feira, 13 de março de 2017

10ª CAMINHADA

Tome, desde já, nota na sua agenda

 

sábado, 11 de março de 2017

Mais lixo retirado

Conforme o previsto, promovida pelo nosso Movimento,com o apoio da Junta de Freguesia de Rio Tinto, realizou.se hoje uma ação de limpeza que decorreu na Ribeira da Castanheira
Mais umas centenas de quilos de detritos vários foram retirados do leito e margens , designadamente uma máquina de café (!) e um encosto de cadeira de bébé (!). Também vimos canalizações a despejarem para a ribeira.
A seguir, algumas fotos do evento.


domingo, 5 de março de 2017