sábado, 18 de fevereiro de 2017

Visita ao Monte Crasto em Gondomar e ao Futuro Parque da Cidade de Rio Tinto

Promovida pela Campo Aberto - associação de defesa do ambiente realiza-se, no próximo dia 4 de Março, uma visita ao Monte Crasto em Gondomar e ao Futuro Parque da Cidade de Rio Tinto.
Esta atividade conta com a participação do Movimento em Defesa do rio Tinto, Nesse sentido, 
haverá uma conversa com  elementos do Movimento, sobre a história e objetivos deste e o estado em que se encontra a questão do Futuro Parque da Cidade bem como de outros problemas ambientais locais. Este visita esteve anteriormente prevista para dezembro do ano passado mas teve então de ser adiada.
O agrupamento será às 14:15 na Praça Velásquez (Francisco Sá Carneiro) junto ao café do mesmo nome, dos participantes sem carro e dos participantes com carro.
Partida às 14:30.
Agrupamento na base do Monte Crasto às 15:00, caso vá sem passar pela Praça Velasquez.
A visita será em sistema de boleias partilhadas. Término previsto em princípio para as 19:00, com chegada ao Porto, à Praça Velásquez, cerca das 19:30.

COMO INSCREVER-SE?
Envie um email para

indicando nome completo e data de nascimento (para efeitos de seguro), email e telefone de contacto de cada pessoa por si inscrita. Pode inscrever várias pessoas no mesmo email, desde que indique para cada uma todos esses dados.
Para qualquer dúvida use o email anterior ou o tm 918527653.

Pode consultar as condições  gerais de participação nas atividades da Campo Aberto em

sábado, 3 de dezembro de 2016

Adiamento de atividade

Por motivos de ordem logística, as iniciativas organizadas pela Campo Aberto, em que o nosso Movimento também participava e de que demos conta no post anterior, ficam adiadas sine die.

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Atividades Campo Aberto

A Associação Campo Aberto vai promover uma visita ao Monte Crasto em Gondomar e ao futuro Parque da Cidade de Rio Tinto no dia 3 de dezembro (sábado).
A visita iniciar-se-á às 14h00, no Monte Crasto (Gondomar), seguindo-se, às 16h00, para a área do futuro Parque da Cidade de Rio Tinto.
Essa visita será conduzida pelo Movimento Em Defesa do Rio Tinto (MOVE). O ponto de encontro será na ponte pedonal, junto à estação de metro da Levada.
Às 17h00, realizar-se-á uma Tertúlia, no Salão Nobre da Junta de Freguesia de Rio Tinto, onde será abordada a história e objetivos do MOVE.
Nessa ocasião serão apresentados e debatidos vários dos problemas ambientais em torno do rio Tinto.
As inscrições para participar nas visitas poderão ser efetuadas através do seguinte email:                 atividadesca@gmail.com
 indicando nome completo, data de nascimento, email e telefone de contacto de cada pessoa inscrita. As inscrições são da responsabilidade da Associação Campo Aberto e poderão ser feitas até ao dia 29 de novembro. Informações mais detalhadas podem ser solicitadas à Campo Aberto.
Para participar unicamente na visita ao espaço do Futuro Parque da Cidade de Rio Tinto poderá fazer a sua inscrição através do seguinte email

 move.riotinto@gmail.com
Participe, inscreva-se!

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Será desta?


Temos aqui denunciado, por diversas vezes, a lamentável persistência de um foco de poluição do nosso rio oriundo da ribeira da Granja que vem do concelho da Maia.
Denunciámos o problema, insistimos, reportámos o caso a várias entidades. Mas o problema foi persistindo.
Entretanto, nos últimos dias algo de novo parece ter surgido.
Segundo o Diretor da APA Norte, Eng.º Pimenta Machado, os SMEAS-Maia já adjudicaram a obra de reabilitação da estação elevatória, responsável pelas descargas não controladas no rio Tinto. Está previsto que essa obra termine em Março do próximo ano.
 Ou seja, vamos ter que esperar mais uns meses para a resolução deste problema, mas finalmente vemos uma luz ao fundo do túnel. 

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Cadê o Projeto?

Em 28 de Agosto de 2015, conforme divulgámos aqui, foi assinado um protocolo  tendo em vista a candidatura do projeto de construção de um intersetor no nosso rio que conduzisse efluentes poluentes, designadamente das ETAR do Meiral e Freixo diretamente para o rio Douro.
Relembramos que esta solução foi defendida pelo nosso Movimento, durante vários anos, perante diversas vozes que nos apelidavam de irrealistas e utópicos.
Afinal, foi reconhecido que tínhamos razão e o projeto foi mesmo aprovado.Sabemos isso mas desconhecemos de que projeto concretamente se trata.
Já solicitámos, por mais de uma vez, à Câmara Municipal de Gondomar, designadamente através do Vereador do Ambiente, a consulta do mesmo. Consideramos que nos assiste esse direito, não só porque contribuímos com as nossas ideias para que ele surgisse como também porque há um dever de transparência que se impõe aos poderes nacionais ou locais, perante os cidadãos que juram servir. Aliás, "transparência" foi uma palavra-chave usada na campanha eleitoral que conduziu ao poder a atual equipa que gere a Câmara.
Mas, apesar das nossas insistências, o facto é que, com promessas, evasivas, adiamentos sucessivos, essa consulta nunca nos foi facultada. Porquê? Haverá algum inconveniente em que conheçamos os pormenores de tão importante projeto antes de serem iniciadas as obras nele previstas ?
Não deixa de ser inquietante esta situação.
Esperamos, pois, que muito brevemente, possamos ter, finalmente, acesso a este documento.

domingo, 11 de setembro de 2016

Não é uma rentrée,,,


Desde há muito que, quando o verão se aproxima do fim, sobretudo na esfera político.partidária, decorrem eventos a que se convencionou chamar "rentrée". Este termo foi recuperado do francês que tinha inicialmente apenas conotação escolar.
E, nesse contexto, os políticos fazem "rentrée" com  pompa e circunstância, para assinalar que acabaram as férias e se inicia um novo ciclo.
No nosso caso, isso não se aplica porque o Movimento não faz reentradas pela simples razão de que nunca se retira.
Seja qual for a estação do ano, continuamos atentos, a percorrer as margens do rio, a observar o que se passa, a detetar acontecimentos, a denunciar anomalias, a estudar, a propor soluções.
Não fazemos férias porque o rio continua a correr, a cidade a viver, os problemas a persistir.
E vamos continuar assim. Mesmo com o incómodo de algumas entidades que chega a passar por ameaças de corte de relações e de retaliações de ordem diversa.
Neste espaço iremos, brevemente, dar conta de uma série de questões que nos continuam a preocupar.
E isso, repetimos, não é uma "rentrée" mas antes o prosseguir de uma luta que nunca se interrompe e não se confina a calendários.

sábado, 2 de julho de 2016

Uma vergonha que continua

Em Agosto do ano passado denunciámos uma grave agressão ao rio, através da Ribeira da Granja, seu afluente e que vem do concelho da Maia.
(recordamos aqui e aqui as notas que então publicámos))
Na altura, contactámos diversas entidades, entre as quais a Câmara Municipal da Maia, os respetivos serviços de Águas Electricidade e Saneamento, a Agência Portuguesa do Ambiente, entre outras.
Lamentavelmente as respostas que recebemos foram evasivas do tipo"estamos à espera de recursos humanos" ou "estamos a acompanhar o problema".
Passado quase um ano, o vergonhoso atentado ambiental continua por solucionar, como documentam fotos recentes obtidas por elementos do Movimento no local onde a dita ribeira encontra o rio.

Como é óbvio, continuámos a insistir junto das entidades competentes no sentido deste problema ser definitivamente resolvido. Mas o que é certo é que o alheamento, a incúria,o "assobiar para o lado" permanecem. E assim, diariamente, o rio continua a ser agredido. A primeira responsabilidade, claro que pertence à Câmara Municipal da Maia e seus Serviços Municipalizados de Água Electricidade e Saneamento. Mas estranhamos a complacência da Agência Portuguesa do Ambiente que parece continuar apenas a "acompanhar a situação". Perante toda esta ineficácia como poderão estas entidades ter autoridade moral para exigir aos cidadãos atitudes cívicas de respeito pelo ambiente?
E também cabe aqui uma palavra de recomendação à Câmara Municipal de Gondomar e Junta de freguesia de Rio Tinto para que pressionem a Câmara da Maia, já que estamos perante a contaminação de um recurso hídrico que atravessa o Concelho e dá nome à cidade que amamos e continuaremos a defender.
Esta vergonha não pode continuar!

sábado, 14 de maio de 2016

Mais uma iniciativa do MOVE. Vamos juntar adultos e jovens num Peddy Paper à volta do rio Tinto.
O regulamento pode ser consultado em


  https://drive.google.com/file/d/0BwlTBlNizSmUM2txeGFKZFNsbFk/view?usp=sharing

Para participar nesta iniciativa deve inscrever-se através do  seguinte link:


 http://goo.gl/forms/lIseKFBs9v

Participe!