sábado, 2 de janeiro de 2010

Para memória futura

Intervenção do Movimento, na Assembleia de Freguesia de Rio Tinto,
 em 28 de Dezembro de 2009

Exmo. Sr Presidente da Assembleia de Freguesia,

Exmos Sr. Membros da Ass. Freguesia e da Junta de Freguesia,

Exmos Sr e Sr.as,

A intempérie que atingiu Rio Tinto no passado dia 21 de Dezembro veio confirmar os alertas e preocupações que o Movimento em Defesa do Rio Tinto há muito vinha a transmitir. As inundações, as destruições, os prejuízos, não podem ser reduzidos a uma explicação meramente aleatória de “catástrofe natural”.

Não nos conformamos com as aparentes desculpas apresentadas pelos responsáveis políticos que até ao momento apenas “sacudiram a água do capote”.

Vejamos o exemplo do vice-presidente da Câmara de Gondomar e responsável pelo Gabinete de Protecção Civil, que em declarações à Lusa afirmou, e passo a citar: a CM, “desenvolveu todos as iniciativas humanamente possíveis para minimizar os efeitos que o mau tempo fez sentir””.

No entanto, isto é apenas o cumprir de um dever da própria instituição! Mas além de actuar à posteriori, mais do que limpar as ruas, remover destroços, há que saber ler as mensagens que o rio agora deixou.

As inundações resultaram de um acumular de más decisões políticas que por sua vez conduziram a más opções técnicas e que não só à Metro do Porto podem ser apontadas! Há aqui, claramente, erros de planeamento e de fiscalização, mas também de licenciamento e aprovação de projectos, que não salvaguardam a nossa cidade de novas reedições destas catástrofes.

Ao longo da sua existência, O Movimento em Defesa do Rio Tinto tem, incansavelmente, denunciado uma série de atentados e atropelos à integridade deste rio que é pertença de uma comunidade e que está para além de interesses e estratégias conjunturais.

Alertamos atempadamente para as consequências de erros acumulados ao longo dos últimos tempos. O entubamento do troço mais emblemático, a artificialização do leito e margens em diversas zonas, impermeabilizando-as, a ocupação de leitos de cheia por construções, a falta de uma cobertura eficiente de rede de saneamento são apenas alguns exemplos gritantes do tipo de atropelos que se continuam a verificar ao longo do nosso Rio.

Mais recentemente, as obras de ampliação da rede do Metro para Gondomar, com um traçado que no nosso entender apresenta algumas soluções técnicas no mínimo intrigantes, tais como um novo entubamento parcial e a continuidade total do já existente, vieram acrescentar novas preocupações.

Nos últimos tempos temos também assistido, com algum humor, a ataques ao Movimento em Defesa do Rio Tinto chegando mesmo a ser acusado de mentir no que diz respeito a novos entubamentos do nosso Rio.
Vejamos o caso do artigo publicado no Jornal Viva Cidade de 17 de Dezembro de 2009, em que o Sr. Nuno Fonseca acusa o Movimento, e passo a citar “ … tem-se vindo a assistir a um conjunto de mentiras sobre o entubamento do rio Tinto e as obras do Metro, afirmando-se que a construção da linha de Metro Dragão/Venda Nova está a entubar mais o Rio Tinto.” E mais adiante afirma-se “Aqui está uma mentira que, dita tantas vezes, até pode parecer verdade.”

Seremos nós que faltamos à verdade?! Se assim é porque não uma deslocação à zona das Perlinhas para verificar um novo entubamento do nosso rio. Desta vez são mais 60 metros de linha de água que a população deixará de ver e de ter por perto. Refira-se que aquilo que para o Sr. Nuno Fonseca é mentira é confirmado pela própria Metro do Porto!
Fica no entanto a dúvida e a questão... o que leva um elemento do executivo da Junta de Freguesia de Rio Tinto a branquear a obra da Metro, que já se encontra no terreno?

Na última campanha eleitoral todos aqueles que levantaram a bandeira da vinda do metro para a cidade terão agora de explicar e assumir que o metro veio entubar mais um troço de rio. E já agora para que não restem dúvidas 60 metros de entubamento correspondem a 6000 cm de rio escondido arruinando a promessa de que “… nem mais um centímetro de rio será entubado…”.

Sempre estivemos abertos a ouvir e analisar a opinião dos outros. Apresentamos sugestões, pedidos de reunião e esclarecimentos mas não fomos ouvidos nem tidos em conta. Para agravar e procurando diminuir-nos acusam-nos, frequentemente, de servir interesses partidários. Ora porque damos protagonismo político aos autarcas da CM e da JF, ora porque estamos colados a várias forças políticas. A isto apenas dizemos: temos a nossa consciência tranquila o nosso objectivo não passa por aí, mas pela real reabilitação e renaturalização do nosso Rio.

As nossas opiniões são claras e foram amplamente difundidas. Somos um movimento de intervenção cívica e continuaremos a trabalhar para divulgar os nossos pontos de vista e fazer valer as nossas ideias.

Chega de “lamber as feridas”. Que não se iludam os responsáveis (em primeira linha a Câmara Municipal de Gondomar e a Junta de Freguesia de Rio Tinto) pois se nada for feito para encontrar soluções para o Rio Tinto o que se verificou no dia 21 de Dezembro repetir-se-á, mais dia menos dia, mais chuva ou menos chuva!
É necessária a requalificação e renaturalização das margens nas zonas críticas, o desentubamento em troços onde tal é ainda claramente viável e a conclusão das obras de saneamento básico.
É necessário actuar em profundidade corrigindo erros estruturais.
Depois das graves inundações e destruições verificadas no dia 21 de Dezembro é necessário reabilitar e reconstruir o que se perdeu! Que medidas de prevenção estão a ser planeadas, se é que as há.
As soluções não podem ser meros remendos paliativos.
Certamente que vai haver quem diga que não há recursos financeiros para intervenções profundas. A esses responderemos que em situações como esta, em que a segurança e os haveres de cidadãos são postos em causa, terão que ser mobilizados os meios necessários, quanto mais não seja pela exigência de “fundos de catástrofe”.

Um dia, o incontornável Berthold Brecht, escreveu:
“Do rio que tudo arrasa
se diz que é violento.
Mas ninguém diz violentas
As margens que o oprimem”.

Por tudo isto, aqui fica o conselho: cuidem das causas em vez de minimizar os efeitos.
Chega de dizer “tomei banho nas águas deste rio”, deixem que quem nunca lá se banhou possa dizer “vou desfrutar das águas límpidas do meu rio”.

28 Dezembro de 2009
Movimento em Defesa do Rio Tinto

2 comentários:

noticias disse...

McCann Unravels. "Los MCcánn nó són víctimas són verdúgos"

"ENCUBRIENDO EL MALTRATO INFANTIL ABUSOS SEXUALES Y ASESINATO en primer grado" "UN SPSICÓPATA"
Gerry MCcann es pederásta y no le ímporta que sea niño o niña lo que les interesan a los pederastas es su infáncia. LA JUSTICIA CUMPLE SE REHABRE EL CASO . SOS: EL RESCATE, DE MADELEINE (MCCANN) LA NIÑA “INGLESA” RAPTADA EN (PORTUGAL)
"AQUI HAY TONGO"
Madeleine MCcann el gobierno portugues y ministro de justicia mas fiscal y el juez toman una alternativa para los "Mccann" no hay cadaver no hay juicio.El juicio de "Marta Del Castillo" no hay cadaver pero se hace justicia......................
Madeleine MCcann En la primera anestesia la niña se despertó cuando se encontró al padre abusando de ella fue golpeada salvajemente por el propio padre al darse cuenta que no era bien recibido y volvió a ser anestesiada de hay la sangre de la niña de los golpes recibidos recordando en todo momento que estaba bajo los efectos del alcohol de hay el ataque cardíaco. Cadena perpetua para Un Pederasta y pedofilo Fueron los padres los asesinos mas torturaban a la niña. Los McCann y sus siete amigos cenaban cada noche durante sus vacaciones en Portugal, incluida aquélla en la que desapareció Madeleine, aseguraron que éstos bebían entre 10 y 12 botellas de vino, a las que precedían cervezas y cócteles durante el aperitivo mas lo que tomaban durante las comidas . kate y Gerri de profesión médicos anestesiaban a Madeleine puesto que lloraba 18 horas al día con mucha regularidad porque tenían en casa a su maltratador era ese el motivo de su llanto y se combirtio en un suplicio o martirio para el matrimonio causa del asesinato premeditado en primer grado aquí no podía haber ningún accidente por exceso de anestesia puesto que los dos son médicos .Estos asesinaron a su hija con premeditación .Los Mccann tenían deudas de tres mensualidades de su hipoteca de tres mil euros mensuales y las cuentas al rojo y se tomaron unas vacaciones veraniegas mas 40 días sin pagar nada por sentirse el director del hotel responsable de la desaparición de Madeleine total unas vacaciones a lo grande y todo a costas del asesinato premeditado en primer grado. No hay ningún retrato robot que valga basta, basta, de tanta comedia la falsa del retrato robot inventado por Remenber de Rokley portavoz del gobierno Británico y periodista que costo un millón y medio de Euros que tubieron que pagarles los Mccann por limpiar el nombre. La verdad de Madeleine MCcann pinchar en parte superior "Noticias"
Número de Pedido: 200912004686
Estado: Aberto
Data: 29 Dez 09 20:48
Assunto: [Abuse] > [Portal SAPO] > [Notícias]
Nome: levante.111
Email: levante.111@gmail.com
Prioridade: Informação
Operador
DIRÉ PARA MI PESAR QUE BÚSCO DE ÉSTE MÚNDO LA HÓNRADEZ Y DIRÉ QUE ÉSTE COMUNICÁDO ESTÁ YÁ EN PUBLICACIÓN DE MÁS DE 800 BLOGG DISTRIBUIDO POR LA CIUDAD DE ALGÁRVE Y PORTUAL ES DE HÓNRADEZ LO QUE ESTOY PUBLICÁNDO CON EL BLÓGG MÁS ANTÍGUOS QUE HOS MANDÉ EN SU TIEMPO MUCHAS GENTES SE QUEDARÓN EN PÁRO EN ALGARVE Y PERDIDAS DE TURÍSMOS POR CÚLPA DE LOS MCCANNES ARROGÁNTES PREPOTENTES GENTÚZAS SÍN ESCRÚPULOS AMBICÍOSOS PEDERÁSTA Y ASESÍNO CASO MADELEINE MCCÁNN...SÍ MADELEINE MCCANN ESTÁ VIVA PERO EN NUESTROS CORAZÓNES.PORTUGÁL TERRA DE TRABALLADORES Y EMIGRÁNTES QUE SÓN LOS QUE LA HÁN LEVÁNTADO.Cuando se descubra la verdad se recuperara el turismo y la alegria de algarve recuperacion de empleos y la normalidad con el mundo.Esta la reputacion de portugal en jaque

Los MCcánn sabén esta publicación.

gracias por el buen recibimiento al creador/a de este magnifico blog y a sus visitantes que tengan un gran año llenos de abundáncias

Pequeno Passo disse...

São mais 60 metros, possivelmente necessários para as obras. O problema são as centenas de metros ja entubados. Não poderemos pedir que em troca, parece não ser dificil, que o rio volte a encontrar a foz da ribeira junto ao antigo mercado?