quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Mais um ataque ao rio Tinto

Há vários dias que o rio Tinto apresenta na zona central da cidade de Rio Tinto uma invulgar carga orgânica e odores nauseabundos. Percorrido o seu leito em direção à nascente em Ermesinde, foi localizado como ponto de descarga um tubo, no limite do Horto da Palmilheira (junto ao apeadeiro da CP da Palmilheira) a lançar abundante esgoto doméstico na linha de água que se junta logo a seguir, perto do moinho por detrás do aterro da Lipor, ao rio Tinto.   Publicamos algumas fotos que reportam a evidência da situação que aqui denunciamos.
Tendo em conta a gravidade da ocorrência, o nosso Movimento interveio junto de diversas entidades solicitando rápida atuação no sentido de serem implementadas soluções adequadas que eliminem de vez este tipo de ataques à qualidade do nosso rio.
Assim, foi dado conhecimento desta situação às seguintes entidades: SEPNA-GNR, Águas de Valongo, Câmara Municipal de Valongo, Agência Portuguesa do Ambiente, Junta de Freguesia de Ermesinde e Lipor.

 

ATUALIZAÇÃO
Pelas últimas informações recebidas a poluição no rio Tinto tem origem na Maia.
Já em terras da Maia ficou claro de onde vem o foco de poluição que está a atingir o rio Tinto, nas últimas semanas. Já entramos em contacto com a Câmara da Maia e com SMAS-Maia. Aguardamos desenvolvimentos.

Foco de poluição localizado em terras da Maia. Agadecemos as rápidas informações fornecidas pela Lipor e pelas Águas de Valongo.

3 comentários:

Isabel Ribeiro disse...

MAS A IMPUNIDADE NÃO TEM LIMITES PARA ESTA GENTE!

Anónimo disse...

Imagens típicas dos anos 60/70. Não estamos já no século XXI?

Fernando Pinto disse...

Mais um acontecimento indesculpável nos tempos que correm.