segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Obras do Metro - se outros calam, falemos nós 1

As obras para a construção da linha de Metro, importante equipamento que servirá uma parte de Rio Tinto, prosseguem. Designadamente em zonas que têm muito a ver com o nosso rio.
Em Junho deste ano, a propósito destas obras, a Assembleia Municipal de Gondomar, aprovou, por unanimidade, a seguinte recomendação:


Que esta Assembleia recomende à Câmara Municipal e à empresa Metro do Porto, SA que, no caso de ser tecnicamente possível, aproveite a intervenção que está a realizar no troço Avenida da Conduta/Pontão da Lourinha, com vista à construção da linha do Metro, para desfazer o entubamento do rio Tinto, diligenciando junto das entidades responsáveis pela gestão dos recursos hídricos a necessária autorização.
A Assembleia de Freguesia de Rio Tinto, haveria de aprovar recomendação semelhante.
Fomos acompanhando as obras no terreno. E o que fomos vendo?
Inicialmente, abriu-se uma esperança, pois, junto à Quinta das Freiras, vimos serem cortados os grandes tubos por onde o rio corre.
Seria que a recomendação estaria a produzir efeitos?
Mas a seguir à esperança, veio a desilusão.
Afinal, a abertura foi tapada.

O rio foi, desviado, e vai passar a correr, novamente escondido, por debaixo das estruturas de betão por onde circularão as composições.
Com a clara aquiescência da Câmara Municipal de Gondomar, entidade licenciadora da obra, que ignorou a recomendação da sua Assembleia Minicipal.
E, ao que nos parece, com o silêncio dos restantes órgãos autárquicos (Junta de Freguesia incluída) e de todas as forças políticas que, afinal, com o seu voto, deram força a esta deliberação.

Mas, ainda há pior.
Como aqui iremos demonstrar, as obras do Metro, não só representam uma oportunidade perdida para se remediarem minimamente erros do passado, como ainda vieram agravá-los, já que estão a promover o entubamento de mais umas dezenas de metro do rio Tinto.
Mas, aqui, não haverá silêncios.
À semelhança do que diz a canção
"Se outros calam
falemos nós".

2 comentários:

Anónimo disse...

Onde é que estão acautelados os interesses dos Gondomarenses. A linha da Metro é muito importante, mas não façamos erros iguais ao passado. Não entubemos mais os nossos poucos recursos hidricos. Que autarcas temos? A preservação do nosso meio ambiente não passa apenas pela varredura das ruas ou pela limpeza dos moloks. Srs. Autarcas cumpram as Vossas funções respeitem as decisões tomadas nas Assembleias. Chega de promessas

Adérito Machado disse...

...Também não nos calamos!
Foi de facto aprovada uma Recomendação na Assembleia Municipal e uma outra na Assembleia de Freguesia que abordava o possível desentubamento junto à Quinta das Freiras. Não estou certo como foi votação na Assembleia Municipal, no entanto a da Assembleia de Freguesia foi por Unanimidade.
Depois de aprovados qualquer documento que seja, cabe ao Executivo da Junta de Freguesia dar seguimento ao que foi aprovado em sede própria.
Se assim não procede, é grave. Mas mesmo que tivesse feito chegar a Recomendação aprovada aos locais próprios e não tivesse tido uma resposta favorável, (por aquilo que se vê no terreno, vê-se perfeitamente que não foram sensíveis à Recomendação), cabia ao Presidente da Junta informar a Assembleia, qual a resposta dada pela Metro ...e já teve muito tempo para o fazer.
Mais uma vez fica provado, que não podemos andar distraídos. Os responsáveis autárquicos “não mexem uma palha”, só o fazem quando alguém se começa a mover.
Também convém salientar, que em tempos foi rejeitada uma Proposta apresentada pela CDU (http://cduriotinto.blogs.sapo.pt/), da criação de uma Comissão de Acompanhamento direccionada para vários assuntos relacionados com o Metro, a rejeição teve o a mão do PS e de outras forças... assim deram o “cheque em branco” para que a Metro do Porto prosseguisse a obra de forma como mais lhe convém.
Para além desta situação, junto à Quinta das Freiras, também é público que há anomalias entre a Lourinha e Prelinhas, local previamente preservado, segundo responsáveis executivos.
Cabe às várias forças politicas o acompanhamento e denuncia das situações, mas a responsabilidade maior compete ao Executivo da Junta da Freguesia. Por outro lado não estou nada de acordo, que classifiquem todas as forças politicas de estarem ... na CDU, também não há silêncio!