sábado, 28 de abril de 2012

Fomos à nascente

Hoje o tempo colaborou e pudemos caminhar à descoberta da nascente do nosso rio.

Fomos cerca de meia centena e partimos junto das piscinas.

Numa primeira paragem, junto à linha do Metro e com o rio a correr ao lado, Carlos Duarte, Pedro Teiga e Paulo Silva, fizeram breves sínteses sobre as problemáticas que continuam a afectar a saúde do rio.
Continuando a caminhada, fomos colecionando exemplos de erros básicos que têm agredido o nosso recurso hídrico. Tal como a implantação de coletores de esgotos em pleno leito do rio.
Já mais para montante, o rio com leito a estreitar (estamos perto da nascente), mas lamentavelmente sujo.
O contato com as paisagens urbanizadas deixa transparecer a incúria e os desmandos com que continuamente é confrontado.
O leito vai ficando menos largo, mas a cor das águas não augura nada de bom.
Os ataques começam bem cedo. Logo após a nascente...
 Estamos quase...As águas iniciais já espreitam.
A Engª Ana Silva, técnica do Departamento de Ambiente da Câmara Municipal de Valongo dá-nos algumas explicações, não só sobre a nascente do rio que está ali perto, como também de intervenções que a sua edilidade tem levado a cabo, designadamente nos rios Leça e Ferreira.
Devidamente protegida, ali está, já ao nosso alcance, a procurada nascente.
Há que descer uma escada...

E não foi sem uma ponta de emoção que chegámos até à nascente. Ali está a "mãe de água" do nosso rio, que, como é claro, vai, desde logo, receber outras contribuições que engrossarão o caudal.
Foi longa a fila dos que não quiseram perder a oportunidade de chegar o mais perto possível da nascente, ali no Monte da Costa, em Valongo, objectivo principal desta iniciativa.
Estava no fim esta caminhada. Algo fatigados, mas recompensados pelo contato com a origem do nosso rio, saímos dali determinados a prosseguir a luta por um rio mais protegido, mais saudável.
Um agradecimento particular à Câmara Municipal de Valongo que, amavelmente, nos disponibilizou o acesso à nascente.

5 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria José Leão disse...

Uma bela manhã na vossa campanhia... foi algo cansativa mas valeu a pena. Por caminhos algo desconhecidos fomos descobrindo a pouco e pouco os meandros do Rio Tinto.

Parabéns... continuem com o Movimento. Sempre que possivel lá estarei presente..

Maria José Leão

disse...

Infelizmente foi bonito ver tanta gente junta, abraçando esta causa. É sinal que algo não está bem.
O nosso Rio precisa de atenção. Pudemos ver que logo à nascente está a ser poliudo com a conivência e a desplicência da C.M. Valongo. Nem sequer uma placa invocando a nascente de um rio que dá nome a uma cidade...
Parabéns ao Movimento por mais esta iniciativa. Contem com a minha modesta presença numa próxima atividade.

Jorge Oliveira disse...

Infelizmente foi bonito ver tanta gente junta, abraçando esta causa. É sinal que algo não está bem.
O nosso Rio precisa de atenção. Pudemos ver que logo à nascente está a ser poliudo com a conivência e a desplicência da C.M. Valongo. Nem sequer uma placa invocando a nascente de um rio que dá nome a uma cidade...
Parabéns ao Movimento por mais esta iniciativa. Contem com a minha modesta presença numa próxima atividade.

Jorge Oliveira

Jorge Oliveira disse...

Infelizmente foi bonito ver tanta gente junta, abraçando esta causa. É sinal que algo não está bem.
O nosso Rio precisa de atenção. Pudemos ver que logo à nascente está a ser poliudo com a conivência e a desplicência da C.M. Valongo. Nem sequer uma placa invocando a nascente de um rio que dá nome a uma cidade...
Parabéns ao Movimento por mais esta iniciativa. Contem com a minha modesta presença numa próxima atividade.